Treinamento funcional e emagrecimento

A Educação Física e os estudos na internet
19/12/2014
Perfil dos personal trainers atuantes na cidade de Cacoal Rondônia-Brasil
31/01/2015

Quer emagrecer mas não gosta de correr? Calma! Tem outras opções de exercício físico que podem ser eficazes para esse objetivo.

A obesidade é uma epidemia em constante crescimento. Os dados mundiais são cada vez mais alarmantes. Como é de conhecimento de todos que o excesso de peso está associado ao desenvolvimento de uma série de doenças crônicas, o emagrecimento torna-se objetivo comum dentre as pessoas.

Diversas são as estratégias para o emagrecimento, mas sem sombra de dúvidas que a mais eficiente e saudável é a combinação de dieta e exercício físico. Especificamente sobre o exercício físico, várias também são as modalidades oferecidas com esse propósito, porém a maior dificuldade do obeso é encontrar uma modalidade que, além de eficiente, agrade. Digo isso, considerando que a obesidade “cria” barreiras psicobiológicas ao exercício físico.

Assim, profissionais do exercício devem dominar ferramentas que otimizem o gasto calórico ao mesmo tempo em que sejam atrativas e prazerosas. Nesse formato, temos diversas opções, cada qual com o seu atrativo: musculação, atividades outdoor, ginástica coletiva, HIIT, etc. Porém, um dos conceitos de treinamento que vem se destacando na atualidade, elencado como tendência mundial de mercado, é o treinamento funcional (TF).

 

Conheça as tendência mundiais do mercado fitness para 2017

 

Mas será que o TF pode ser uma opção interessante para quem quer emagrecer?

Para responder à essa pergunta, é necessário entender que o papel do exercício no emagrecimento se dá, principalmente, sob os seguintes aspectos: 1. aumento do gasto calórico durante e logo após a atividade; 2. aumento da taxa metabólica de repouso (TMR).

  1. Lagally et al. (2009) observaram gasto calórico médio de 289 Kcal em uma sessão de TF em circuito, enquanto que Pozzi (2013) observou gastos entre 326 e 601 Kcal, somando-se sessão mais EPOC.
  2. Recente estudo observou que um programa de TF de moderada intensidade contribuiu para elevar a TMR de mulheres adultas saudáveis (Smith, 2014).

No que se refere especificamente à diminuição da gordura corporal,  um recente estudo nacional observou que um programa de TF em formato concorrente (TF + aeróbios) reduziu gordura corporal (-4,97%), gordura intra-abdominal (-19,90%), e aumentou a massa muscular (4,18%) de jovens obesos (Caires et al., 2014).

Deve-se considerar que, por se tratar de uma temática “nova”, ainda são poucos os estudos envolvendo o TF e o emagrecimento em indivíduos obesos, sendo necessários mais investimentos nesse sentido. Porém, o que se tem já permite dizer que o TF pode contribuir para o emagrecimento e, por ser uma modalidade atrativa e prazerosa para muitos, deve fazer parte da caixa de ferramentas dos profissionais de Educação Física.

Falo mais sobre esse assunto no livro “Musculação Funcional“.

 

Referências (clique sobre o nome do autor para ser redirecionado):

Cayres SU et al. Treinamento concorrente e o treinamento funcional promovem alterações benéficas na composição corporal e esteatose hepática não alcoólica de jovens obesos. Rev educ fis UEM [online] 25(2): 285-95, 2014.

Lagally KM et al. Physiologic and metabolic responses to a continuous functional resistance exercise workout. J Strength Cond Res 23(2): 373-9, 2009.

Pozzi, M. Fundamentação teorica functional circuit. 2013 (dados não publicados)

Smith JR. The effect of functional resistance training on the resting metabolic rate of apparently healthy adult women. [Thesis of master] Indiana University of Pennsylvania. 2014.