Prevalência de excesso de peso em crianças e adolescentes praticantes de diferentes esportes

Prevalência de excesso de peso em crianças e adolescentes da cidade de Santos / SP
02/09/2014
Percepção subjetiva de esforço em diferentes formas de execução do exercício de agachamento
08/09/2014

Cauê Vazquez La Scala Teixeira; Rodrigo Luiz da Silva Gianoni; Claudia Zanin Eduardo; Ricardo José Gomes. Lecturas Educaion Fisica y Deportes, ano 16, nº 160, 2011.

Cauê Vazquez La Scala Teixeira; Rodrigo Luiz da Silva Gianoni; Claudia Zanin Eduardo; Ricardo José Gomes. Lecturas Educaion Fisica y Deportes, ano 16, nº 160, 2011.

Resumo: Um grave problema de saúde pública mundial que cresce de forma preocupante é o alto índice de excesso de peso entre as crianças. Dentre as possíveis causas que justificam esses elevados índices, destacam-se o desmame precoce, uma conduta alimentar inadequada e a diminuição dos níveis de atividade física. Um dos indicadores antropométricos aceitos internacionalmente para detectar níveis de obesidade é o índice de massa corporal (IMC). O objetivo do presente foi avaliar crianças e adolescentes da cidade de Santos quanto ao IMC a fim de classificá-los com base nos referenciais propostos pela Organização Mundial de Saúde, estabelecendo relação entre peso normal/excesso de peso em diferentes modalidades esportivas. 426 indivíduos entre 7 e 15 anos (10±2 anos) praticantes de exercício físico de um centro esportivo de Santos, SP, há pelo menos três meses, com freqüência mínima semanal de duas vezes e duração de uma hora/dia. A amostra foi avaliada quanto ao IMC e classificada de acordo com os referenciais propostos pela OMS, sendo considerados sobrepeso e obesidade os percentis acima de 85 e 97, respectivamente. Do total avaliado, 17,8% e 21,6% apresentaram sobrepeso e obesidade, respectivamente, perfazendo um total de 39,4% apresentando excesso de peso, o que corresponde a uma relação peso normal/excesso de peso de 1,45. Não houve diferença estatística entre as modalidades. Em conclusão, observou-se alta prevalência de excesso de peso em comparação aos demais estudos analisados. Entidades públicas e privadas devem voltar suas atitudes para a orientação e promoção de hábitos saudáveis que possam reverter esse quadro.

DOWNLOAD