O edema muscular induzido pelo treinamento com oclusão vascular parcial é dependente da intensidade? Um estudo piloto

5 motivos para os homens treinarem “perna”
15/04/2016
Efeitos da hidroginástica sobre variáveis morfofuncionais de indivíduos de meia idade e idosos
18/04/2016

Iván Chulvi-Medrano, Sergio Benito Hernández, Manuel Rodríguez Pérez, Cauê Vazquez La Scala Teixeira. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 9, n. 53, p. 309-314, 2015.

Resumo: Introdução: O treinamento resistido com oclusão vascular parcial (OVP) é um método alternativo de treinamento que proporciona adaptações estruturais e funcionais que tem sido associada às respostas agudas de edema muscular. No entanto, a intensidade ótima para indução do edema muscular permanece desconhecida. O objetivo do estudo foi comparar a influência de diferentes intensidades de treinamento com OVP sobre as respostas agudas de perímetro e composição corporal do bíceps braquial. Materiais e métodos: Para isso, dez homens (21,0 ± 1,3 anos) foram recrutados e submetidos a treinamento com OVP (130% da pressão arterial sistólica), realizando 3 séries até a falha concêntrica em duas sessões com intensidades distintas, separadas entre si por uma semana: 30% e 70% 1RM. Foram avaliados perímetro do braço, porcentagem de massa muscular e conteúdo de água. Resultados: O perímetro do braço aumentou significativamente (p ≤ 0.001) após sessão de treino com 30% (34,16 ± 0,95 cm) e 70% 1RM (34,06 ± 0,93 cm). A quantidade percentual de água aumentou (30%: 5,33 ± 1,26%; 70%: 6,02 ± 1,53%), mas as diferenças não foram significativas. Finalmente, não foram observadas diferenças na porcentagem de massa muscular. Conclusão: Os resultados suportam a utilização de cargas baixas (30% 1RM) para o treinamento com OVP para induzir edema muscular agudo em homens jovens e saudáveis. Futuras investigações devem avaliar os efeitos agudos do edema muscular através de técnicas mais sofisticadas (ex. ultrassom, ressonância magnética), bem como buscar associar as respostas agudas com adaptações crônicas de hipertrofia muscular.

DOWNLOAD